#Veneno: Brasil é líder planetário no uso de agrotóxico, que mata 70 mil pessoas ao ano no mundo

 

Com apenas 4% do comércio mundial do agronegócio, Brasil consome hoje cerca de 20% de todo agrotóxico comercializado no mundo

 Na primeira reportagem da nova série especial do Lei.A, você entenderá o que está em jogo e as consequências do uso deste tipo de substância para a saúde e o meio ambiente

agrotóxicos

Agrotóxicos são substâncias químicas (venenos) utilizadas para matar insetos, fungos ou plantas que causam danos às plantações. Até aí, a sensação é de que “está tudo bem”. Mas na verdade, tanto os trabalhadores rurais que aplicam, inalam e tem contato direto com esses venenos na pele, quanto adultos e crianças quem consomem alimentos com resíduos destes venenos, todos eles estão com a saúde e a vida em risco. Por dia, oito brasileiros são intoxicados por algum tipo de agrotóxico.

Você já parou para pensar como o uso destes venenos pode contaminar seus alimentos (in natura e industrializados), a água que sai do filtro da sua casa e até mesmo o leite materno dado aos recém-nascidos no Brasil?

Nesta primeira matéria da série especial “Caminhos dos agrotóxicos”, nós do Lei.A mostramos como a utilização deste tipo de produto químico está crescendo muito mais rápido que a produção de alimentos no país. Hoje, o consumo de agrotóxicos no Brasil é muito superior ao tolerado nos países desenvolvidos.

Já parou para pensar o porquê do agronegócio, mesmo assim, querer utilizar cada vez mais agrotóxicos – em quantidade e tipos? Por que ao invés de encontrarem formas de produzir com menos venenos, o agronegócio vive a questionar estudos que comprovam os efeitos diretos e indiretos dessas substâncias sobre a saúde da sua família e dos trabalhadores rurais?

Acompanhe para conhecer, monitorar e agir:

 

Dados agrotóxicos no Brasil

Veneno fica, monocultura vai

Cerca de 80% de todo o agrotóxico usado no Brasil vai para quatro tipos de cultura: soja, milho, algodão e cana-de-açúcar. Isso mostra dois problemas graves. De um lado, o agrotóxico estimula a monocultura e de outro, por serem produções tipicamente de exportação, enquanto o produto final e lucros vão para o exterior, aqui ficam  – no solo e na água – os resíduos dos venenos.

 

 

Perigos agrotóxico

Fonte: Anvisa, 2012

 

Não são só alimentos in natura que estão contaminados. Também são encontrados resíduos de agrotóxicos em alimentos processados como biscoitos, salgadinhos, pães, cereais, pizzas e outros que tenham como ingredientes plantas cultivadas com agrotóxicos. O mesmo vale para a carne e o leite, que também podem conter resíduos de agrotóxicos se os animais tiverem se alimentado de ração contaminada.

 

Intoxicações, mortes e baixa denúncia

70 mil mortes no mundo acontecem por intoxicação com agrotóxicos. No Brasil, a cada dois dias e meio, uma pessoa morre.

7 milhões de pessoas no mundo contraem algum tipo de doença não fatal decorrente do contato direto e indireto. No Brasil, 8 brasileiros estarão intoxicados por agrotóxicos até o fim do dia de hoje.

As chamadas “intoxicações agudas” são as mais conhecidas e afetam, principalmente, os trabalhadores rurais diretamente expostos a essas substâncias. Já as “intoxicações crônicas” podem afetar toda a população, pois são decorrentes da presença contínua de resíduos de agrotóxicos em alimentos e no ambiente.

Entre os efeitos associados à exposição crônica a agrotóxicos estão: infertilidade, impotência, abortos, malformações, desregulação hormonal, efeitos sobre o sistema imunológico e câncer.

Estes números ainda podem ser bem maiores, em função da cultura da sociedade de não denunciar abusos e ilegalidades. Estima-se que para cada caso intoxicação por agrotóxico notificada no país, outros 50 casos acontecem, mas por falta, de uma ação da população, não entram nas estatísticas.

 

Próxima reportagem

Você sabia que o uso do agrotóxico, teoricamente, é regulado e controlado no Brasil, inclusive, proibindo a entrada de alguns tipos no país? Porém, existe uma grande pressão para que essa legislação sofra mudanças nos critérios de aprovação, na análise de riscos e até no nome que será dado a esse tipo de produto? Estas alterações estão previstas no projeto de lei 6299, mais conhecido como  PL do Veneno, e podem ser votadas no Congresso Nacional a qualquer momento.

Na próxima reportagem da nossa série “Caminhos do agrotóxico”, mostraremos em linguagem simples o que está em risco caso esse projeto de lei seja aprovado. Como é hoje e como ficaria? Quem defende? Quem é contra? Por quê?

Acompanhe para conhecer, monitorar e agir.

 

Fontes

Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Europeia

Atlas do Envenenamento Alimentar no Brasil”

Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e pela Vida

Dossiê da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco)

Estratégia Intersetorial de Redução do Uso de Agrotóxicos e Apoio à Agroecologia e à Produção Orgânica em Minas Gerais

 

Share

2 Pings & Trackbacks

  1. Pingback: Já ouviu falar no PL do Veneno? Não? Os deputados podem votar a qualquer momento - Lei.A

  2. Pingback: Minas Gerais é 3º no ranking nacional de intoxicação por agrotóxicos e vê uso aumentar em 700% - Lei.A

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *