Seminário em Congonhas vai debater e tirar dúvidas sobre os riscos das barragens de rejeito

Evento aberto ao público é promovido pelo Lei.A e contará com a presença de atingidos pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana

Congonhas precisava ter barragens? Todos nós, atingidos direta ou indiretamente por elas, conhecemos nossos direitos? Como devemos agir no caso de um rompimento? Só Congonhas será afetada? Sabemos realmente tudo sobre esse assunto que pode mudar a nossa vida, de nossos filhos e de dezenas de cidades?

Debater e esclarecer essas dúvidas é o propósito do Seminário “Barragens: da não construção ao risco de rompimento”, que será realizado no sábado, dia 14 de abril, em Congonhas, das 14h às 18h. O evento será promovido pelo Lei.A – Conhecimento e ação pelo meio ambiente, juntamente com associações de bairros da cidade, na sede da Associação dos Moradores do bairro Residencial Gualter Monteiro (Rua Carlota Cordeiro, 40). O evento é aberto ao público em geral e tem entrada gratuita. É uma oportunidade e tanto para conhecer, monitorar e agir pela sua família e pela sua cidade.

Durante o encontro, comunicadores, engenheiros, advogados, juristas e  ambientalistas darão uma oficina gratuita e aberta a todos os moradores de Congonhas e da região.  O advogado popular Luis Silva Moreira, integrante do Coletivo Margarida Alves, e representantes do jornal A Sirene, de Mariana, estão confirmados no evento, assim como pessoas atingidas pelo rompimento da barragem de Fundão, também em Mariana. Eles falarão sobre a experiência de luta por direitos e reparações vividas naquela cidade desde novembro de 2015, quando ocorreu o desastre.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *