O drama do lixo: 30 milhões de toneladas sem destino adequado no Brasil

Segunda reportagem da série “Os Caminhos do Lixo” mostra os impactos causados pelos resíduos gerados nas cidades.

Caminhos do lixo

Você já parou para pensar sobre o destino do lixo que você produz? Em 2016, as cidades brasileiras geraram cerca de 80 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos: o suficiente para encher 106 mil piscinas olímpicas. Desse total, nada menos que 30 milhões de toneladas terminaram depositadas em lixões ou aterros controlados, as piores formas que existem para a disposição do lixo que nós produzimos.

Confira, na segunda reportagem da série “Os Caminhos do Lixo”, o que isso tem a ver com você e quais são os principais impactos da destinação inadequada dos resíduos urbanos para o meio ambiente e para a saúde da sua família.

 

O lixo no Brasil

Lixo no Brasil

O que diz a lei

O avanço na geração de materiais descartáveis levou o governo federal a propor uma lei específica para lidar com a situação: a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), instituída em agosto de 2010.

A PNRS estabeleceu o fim dos lixões a céu aberto e a utilização dos aterros sanitários como destino final dos resíduos. O prazo para que os municípios brasileiros erradicassem os lixões expirou em agosto de 2014, mas 60% das prefeituras não conseguiram cumprir a determinação. Diante dessa situação, o governo adiou a implantação da lei e pretende estender o prazo até o ano de 2021 para a erradicação dos lixões.

Entenda, abaixo, como funciona cada uma destas estruturas:

 

LIXÕES

Nos lixões, os resíduos são depositados em aterros a céu aberto sem nenhum controle ambiental ou tratamento. Além de produzir o gás natural metano (CH4), um dos agravadores do efeito estufa, a decomposição da matéria orgânica gera um caldo negro de nome chorume, altamente poluente. Como o terreno dos lixões não é impermeabilizado, o chorume se infiltra no solo e contamina o lençol freático, com efeitos nocivos sobre a água, a flora e a fauna, comprometendo assim aspectos ligados à saúde pública.

No Brasil, este é o destino de 12,3 milhões de toneladas de lixo por ano (ou 17,4% do total de resíduos sólidos urbanos)

 

ATERROS CONTROLADOS

Esta é uma categoria intermediária entre os aterros sanitários e os lixões. Nos aterros controlados o lixo recebe uma cobertura de terra para minimizar o cheiro e a proliferação de insetos e animais. No entanto, o solo não é impermeabilizado adequadamente e não há sistema para tratamento do chorume.

No Brasil, este é o destino de 17,2 milhões de toneladas de lixo por ano (ou 24,2% do total de resíduos sólidos urbanos)

 

ATERROS SANITÁRIOS

Considerados os destinos mais adequados para o lixo urbano, os aterros sanitários são áreas nas quais os resíduos são compactados e cobertos por terra. Aterros assim têm um sistema de drenagem que capta líquidos e gases resultantes da decomposição dos resíduos orgânicos. Desta forma, o solo e o lençol freático ficam protegidos da contaminação do chorume e o metano é coletado para armazenagem e queima.

No Brasil, este é o destino de 41,7 milhões de toneladas de lixo por ano (ou 58,4% do total de resíduos sólidos urbanos)

 

Situação em Minas Gerais:

Lixo em Minas Gerais

Saúde em risco

Já a International Solid Waste Association (ISWA) estima que o governo brasileiro gaste cerca de R$ 1,5 bi por ano com doenças relacionadas à destinação incorreta de resíduos. Entre os principais riscos da destinação inadequada do lixo para o meio ambiente e a saúde humana estão:

  • Disseminação de insetos que são hospedeiros de doenças, como dengue e leptospirose.
  • Decomposição de matéria orgânica que gera um odor desagradável e um líquido ácido de cor escura denominado de chorume, que é absorvido pelo solo e polui o lençol freático.
  • Contaminação do solo com produtos tóxicos e das pessoas que estão em contato com ele.
  • Deslizamento de encostas.
  • Assoreamento de mananciais e enchentes.

 

Coleta seletiva

Agora que você conhece o destino do lixo que sai da casa dos brasileiros, que tal saber mais sobre como esses resíduos podem ser melhor aproveitados no país? Na próxima reportagem da série especial “Os Caminhos do Lixo”, falaremos sobre os desafios da coleta seletiva e da reciclagem no Brasil.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *